Image Alt Text
contabilidade

CMV: o que é e como calcular o custo da mercadoria vendida

Existe uma série de indicadores que podem ser utilizados para monitorar a saúde financeira de uma empresa. Um deles é o CMV, sigla para Custo de Mercadorias Vendidas.


Saber como calcular esse índice é fundamental para quem está no ramo do comércio, afinal, ele é uma das maneiras de conseguir realizar a precificação correta do que é vendido pela empresa e ter uma estimativa aproximada de seu lucro bruto. 

Neste artigo, vamos te explicar tudo o que você precisa saber sobre o Custo de Mercadorias Vendidas para começar a usar esse indicador em seu negócio. Vamos lá!


O que é CMV?

Seja na contabilidade ou na administração de um negócio, o CMV sigla para Custo da Mercadoria Vendida nada mais é do que o preço de custo pago por uma mercadoria. 

Ou seja, ele é a soma de todas as despesas feitas para comprar e armazenar uma mercadoria. Esse custo é descontado do gasto que uma empresa teve com a produção ou compra do item no seu preço final.


Assim, é possível saber o valor recebido em cada uma das transações realizadas na empresa. Portanto, ele é utilizado para identificar gastos envolvidos em um produto, permitindo o encontro do lucro bruto. 

Em resumo: o lucro da venda de uma mercadoria ainda não é um lucro até que o valor de custo seja descontado dele. Por isso, só depois de descontar o Custo da Mercadoria Vendida é possível saber qual o lucro bruto obtido pela empresa.


Por que calcular o CMV?

Ao contrário de outros índices que consideram apenas o valor pago aos fornecedores para calcular o custo de uma mercadoria, o Custo da Mercadoria Vendida considera também os valores de outros itens e processos que fazem parte da venda de um produto.


Assim, é possível ter uma estimativa aproximada do lucro bruto obtido com as vendas da empresa e também realizar a precificação dos produtos de acordo com dados que mostram seu real valor de custo.


Quais fatores fazem parte do cálculo do CMV?


Você já sabe porque é importante calcular o CMV em seu negócio, então é hora de aprender como fazer o cálculo e quais os fatores que fazem parte dele.


É possível calcular o Custo da Mercadoria Vendida de duas maneiras: por mercadoria ou por saldo. Falaremos sobre elas e te mostraremos como utilizar as fórmulas no próximo tópico. 

Os fatores envolvidos nessas fórmulas são os seguintes:


  • Estoque Inicial (EI), que é o valor de cada item armazenado em estoque.
  • Compra (C), o valor das compras feitas em um período. 
  • Devolução de Compras (DC), valor das mercadorias que foram devolvidas ao fornecedor.
  • Devolução de Vendas (DV), valor dos produtos que voltaram ao estoque, por desistência da compra ou recusa do recebimento.
  • Estoque Final (EF), valor dos produtos restantes no estoque após um período de vendas, sem a reposição dos produtos ter acontecido ainda.


Como calcular o CMV? 

Como dissemos no tópico anterior, existem duas maneiras de calcular o Custo da Mercadoria Vendida. Agora, vamos te mostrar como cada uma delas funciona.


A primeira é o cálculo por mercadoria. A fórmula para essa conta é a seguinte: 

Custo da Mercadoria Vendida = Estoque Inicial + Compra + Devolução de Compras - (Devolução de Vendas + Estoque Final) 


Vamos a um exemplo: digamos que sua empresa vende objetos de decoração para casa. 

No início do mês, havia R$ 5 mil em produtos no seu estoque (EI) e você comprou mais R$ 5 mil para completar o estoque (C). Por defeitos em produtos, você devolveu R$ 1 mil em mercadorias para o fornecedor (DC) e, pelo mesmo motivo, R$ 500 foram devolvidos em produtos pelos seus clientes (DV).


No fim do mês, ao fechar o estoque, você descobriu que sobrou o valor de R$ 3 mil em mercadorias naquele mês (EF). 

Vamos aplicar isso na fórmula:


CMV = EI + C + DC - DV - EF

CMV = 5.000 + 5.000 + 1.000 - (500 + 3.000)

CMV = 11.000 - 3.500

CMV = 7.500

 

Ou seja, ao longo do mês, foram gastos R$ 7.500 para vender as mercadorias em estoque, independentemente de seu preço de venda.


Já no cálculo por saldo são usados menos fatores na fórmula, deixando a conta mais simples: 

CMV = Estoque Inicial + Compras - Estoque Final


Vamos utilizar o mesmo exemplo do cálculo anterior: a empresa que vende objetos de decoração para casas começou o mês com R$ 5 mil em produtos no estoque (EI) e comprou mais R$ 5 mil para completar o estoque (C). 

Ao fim do mês, no fechamento do estoque, havia R$ 3 mil em produtos por lá (EF).


Aplicando esses valores na fórmula, temos:


CMV = EI + C - EF

CMV = 5.000 + 5.000 - 3.000 

CMV = 10.000 - 3.000

CMV = 7.000


Ou seja, para a venda dos produtos em estoque naquele mês, foram gastos R$ 7 mil, independentemente de seu preço de venda.


Tendo esses resultados em mãos, fica mais fácil verificar se a loja teve lucro ou prejuízo. 

Para isso, basta aplicar os resultados obtidos na seguinte fórmula:


Resultado da Conta Mercadorias (RCM) = Vendas - Custo das Mercadorias Vendidas

Vamos usar o segundo exemplo, do cálculo por saldo, nesta conta. Digamos que, naquele mês, a empresa vendeu R$ 15 mil em produtos e gastou R$ 7 mil para vender essa mercadoria. Aplicando esses resultados na fórmula, temos a seguinte conta:


RCM = 15.000 - 7.000

RCM = 8.000

Usando a fórmula, podemos saber que, naquele mês, a empresa teve lucro de R$ 8 mil em suas vendas, já que vendeu todas as mercadorias por um preço maior do que o custo delas.


Como acompanhar o CMV na contabilidade?


Apesar de ser possível apurar o Custo da Mercadoria Vendida como um indicador anualmente, é muito importante que ele seja verificado com frequência. Para isso, você pode utilizar o mesmo método sobre os seus dados mensais ou semanais.


Uma maneira de fazer o acompanhamento é utilizar sistemas de gestão financeira. Eles fornecerão todos os dados que você precisa para calcular o indicador e acompanhar a sua evolução ao longo do tempo.


Como esse dado é usado na gestão financeira da empresa de contabilidade?


Na prática, esse índice pode auxiliar clientes de escritórios de contabilidade a melhorarem a própria gestão financeira. 

A princípio, é preciso que o seu software contábil se comunique de forma inteligente com o sistema de gestão do seu cliente: isso facilitará muito o processo e é justamente isso que propõe o QuickBooks.


Assim, você fará a apuração do CMV e poderá analisar o seu impacto percentual sobre as receitas. Em seguida, é preciso se reunir com o cliente para verificar de perto cada um dos gastos que impactam o cálculo do indicador.


Dessa maneira, é possível analisar eventuais custos desnecessários que podem elevar o Custo da Mercadoria Vendida e impactar de modo negativo os resultados. Além disso, é importante analisar o eventual crescimento desse indicador. Como um contador que atua de forma gerencial e estratégica, você precisa reconhecer o motivo desse aumento.


Nesse caso, é fundamental utilizar conceitos de contabilidade de custos para verificar a possibilidade de eliminar eventuais gastos. Contudo, vale destacar que esse trabalho deve ser feito com o máximo de cuidado. Afinal, eles estão relacionados com a qualidade dos seus produtos e o seu potencial de vendas ou produção. 

Por isso, quando o assunto é redução de custos, é preciso atenção para não causar impactos negativos em vez de gerar ganhos na lucratividade.


O QuickBooks integra dados e documentos na nuvem e possibilita que você gerencie e monitore as movimentações de seus clientes em tempo real. Desse modo, é possível trabalhar com relatórios financeiros exatos para tomar decisões melhores. 

Qual a utilidade do CMV para pequenas e médias empresas?


O índice do Custo da Mercadoria Vendida é uma ferramenta importante para que a empresa tenha o controle de sua saúde financeira através da estimativa de lucro bruto e da precificação correta de seus produtos.


Além de permitir o cálculo do lucro bruto da empresa e a precificação correta, o CMV também contribui para o corte de custos. Isso porque, através dele é possível encontrar gastos desnecessários que impactam nos resultados da empresa de maneira negativa.


Por isso, é importante realizar o monitoramento do Custo da Mercadoria Vendida com frequência, independentemente do ramo de atividade da empresa, e combiná-lo com outros indicadores e ferramentas que ajudem no monitoramento das finanças do negócio.


Uma boa ideia é unir o uso de índices como Custo da Mercadoria Vendida a ferramentas de gestão que ajudem a monitorar o fluxo de caixa da empresa e o seu estoque, como o QuickBooks.


Conheça agora mesmo o QuickBooks, que permite que você tenha o controle financeiro do seu negócio na palma da sua mão: faça um teste gratuito!




Artigos Relacionados