Image Alt Text
Expandindo a empresa

Metas SMART: como ajudam no planejamento da sua empresa?

As metas SMART são um modelo simples e prático para definir exigências que façam sentido com o contexto da empresa e direcionar os esforços dos colaboradores. Por isso, estão entre as ferramentas de gestão mais importantes para os empreendedores. Não importa se são metas de trabalho, divisionais ou pessoais, tampouco quais são os departamentos envolvidos no processo. Se temos a necessidade de fixar objetivos e metas, podemos adotar essa metodologia.

O objetivo deste conteúdo é detalhar as metas SMART para você aplicar a ferramenta com segurança sempre que tiver necessidade. Então, continue a leitura e obtenha um excelente recurso para o planejamento da sua empresa!

O que são as metas SMART?

As metas SMART são uma lista de verificação. Cada letra que compõe a sigla é um atributo que deve ser preenchido para garantir alvos claros e bem definidos. Assim, ao atender a todos os requisitos, desenha-se uma diretriz adequada para orientar as estratégias da empresa. Desse modo, essa ferramenta contribui com diversas atividades de gestão de pessoas:

  • Avaliar o desempenho do colaborador;
  • Medir os resultados da equipe;
  • Orientar o que precisa ser feito;
  • Acompanhar o progresso do time;
  • Motivar e engajar os profissionais.

Para aplicar a metodologia, o ponto mais importante é conhecer a lista de atributos — representados pela sigla SMART. Na prática, elas formam um roteiro para desenhar os alvos das pessoas, equipes e organizações.

Qual é o significado das letras?

As letras que compõem a sigla SMART se referem a cinco palavras da língua inglesa. Veja quais são:

  • Specific = específico;
  • Measurable = mensurável;
  • Attainable = atingível;
  • Relevant = relevante;
  • Time based = baseada no tempo, ou melhor, com prazo definido.

Os elementos podem ser vistos, por exemplo, em uma competição de arco e flecha. Nessa modalidade esportiva, o alvo é composto por diversos círculos que indicam precisamente onde deve ser feito o disparo (específico). Desse modo, podemos medir quem acertou ou errou o tiro (mensurável).

Ademais, a distância para o atirador pode variar entre 70 e 50 a depender do arco utilizado (atingível). E aqueles que acertam mais próximo do centro estão próximos de vencer a competição (relevante). Por fim, o arqueiro tem 4 minutos para realizar 6 disparos (prazo) por sessão.

Como funcionam?

Nas empresas, podemos usar as metas SMART como um roteiro em que os critérios mencionados formam uma lista. Veja cada um deles em detalhes!

Específico

A meta específica é precisa em relação ao que e quando algo deve ser feito, preferencialmente com números. Vender muito não é uma meta, vender 200 unidades da nova coleção de calças é.

Mensurável

Os gestores devem conseguir medir o que foi definido. Um exemplo é a venda de produtos com cupons de desconto em e-commerces.

Se sabemos que são 200 casacos, mas não temos como mapear se as compras vieram graças à propaganda ou por qualquer outro motivo, a meta é específica, e não mensurável. Logo, seria melhor indicar 200 casacos com o cupom de desconto da campanha publicitária.

Atingível

As exigências devem estar nas possibilidades do responsável pela meta. Parece óbvio, mas não é tão simples assim. Diversos elementos entram na conta quando temos que avaliar se um resultado é alcançável, como:

  • Competência do time;
  • Demanda pelo produto ou serviço;
  • Tecnologia envolvida;
  • Recursos financeiros disponíveis;
  • Complicações ao longo do processo;
  • Concorrência.

Viu como é preciso ter um plano bem definido? O elemento “atingível” é o que faz a meta não ser definida já com previsão de que não será batida.

Relevante

Todas as metas SMART precisam deixar a empresa mais próxima de objetivos que valem a pena ser perseguidos. O objetivo é o que a empresa quer ser ou realizar em determinado período, enquanto as metas são os alvos que precisam ser atingidos para chegar lá. Por isso, ambos devem ter significado.

Baseadas no tempo

A exigência deve ter um prazo para ser concluída. Afinal, sem um dia limite, não faz diferença se a missão estiver concluída hoje, amanhã, depois de amanhã e assim por diante.

Para que servem as metas SMART?

O principal benefício das metas SMART é separar as metas boas das ruins. Ou, se preferir, mapear uma meta inteligente (smart). Consequentemente, passamos a ter um padrão de qualidade ao realizar o planejamento. Qualquer atividade da empresa que exija a definição de metas ou tenha etapas de planejamento podem ser beneficiadas pela metodologia. Na prática, vemos aplicações em todas as partes principais de um empreendimento.

Criação de valor

Podemos fixar metas SMART para avaliar produtos e serviços, fazendo ajustes e definindo padrões conforme o feedback. É o caso, por exemplo, de realizar testes com uma versão mais simples das soluções. Desse modo, apenas se ela tiver atingido as metas é que será desenvolvido o modelo final.

Marketing

O marketing é uma área com inúmeros indicadores de desempenho. Mesmo uma pequena empresa deve avaliar a quantidade de pessoas alcançadas, o custo de aquisição de cliente, o retorno do investimento em campanhas, entre outras métricas. Portanto, a busca por melhorar os indicadores leva à fixação de metas para saber se os resultados desejados foram alcançados.

Vendas

Ao lado do marketing, os processos de vendas e a jornada do cliente também podem ser acompanhados com metas. Os níveis de satisfação do cliente, a taxa de conversão e o número de vendas são algumas das metas que podem ser fixas.

Entrega de valor

Toda a parte de logística, prestação de serviços e demais aspectos da entrega de valor também podem ser melhorados com metas SMART. Por exemplo, duas lojas concorrentes podem vender os mesmos produtos. Mas a diferença está no nível de serviço, como atendimento e suporte.

Finanças

As metas SMART podem ser aplicadas igualmente para avaliar o uso dos recursos da empresa. Quanto a organização deve atingir de custos, receitas, lucratividade e afins são pontos que precisam estar claros para os gestores desde o planejamento financeiro.

Nessa área, vale a pena contar com um sistema financeiro que permita o acompanhamento dos resultados em tempo real. O gestor deve conseguir se antecipar aos problemas, verificando se a empresa caminha para bater as metas financeiras e atuando antes que os problemas impactem a saúde do negócio.

Como as metas SMART ajudam no planejamento da empresa?

Em relação ao planejamento, os exemplos de utilização são incontáveis. Assim, as metas SMART apresentam diversas contribuições. Confira algumas delas a seguir.

Definição de roteiro

A metodologia cria um passo a passo para o gestor definir metas sempre que for preciso. Com isso, é possível otimizar as reuniões de planejamento, sabendo exatamente o que precisa ser feito para gerar exigências adequadas.

Comunicação clara

Os gestores endereçam o que precisa ser feito para alcançar os objetivos da empresa, melhorando a eficiência da comunicação. Não à toa, as metas de trabalho se tornam mais claras. Afinal, colaboradores e líderes estarão na mesma página a respeito do que deve ser realizado e de quais são os requisitos da atividade.

Redução de riscos

As metas SMART reduzem o risco de os resultados não serem alcançados. Unindo uma expectativa realista com responsabilidades claras, as pessoas contam com metas mais adequadas em suas atividades. Portanto, elas conseguem impulsionar suas entregas para atender aos resultados desejados pelo gestor.

Alinhamento dos setores da organização

A metodologia também pode ser utilizada para definir exigências ao longo de toda a estrutura organizacional. Definem-se as metas de cada departamento, alinhando os setores superiores e subordinados para que todos persigam os objetivos da empresa.

Identificação das vantagens competitivas

Metas bem definidas contribuem para que a empresa tenha clareza sobre as condições que, uma vez presentes, favorecem a realização dos objetivos de negócios. Além disso, no desenvolvimento organizacional, são mapeadas quais competências devem fazer parte do capital humano, usando as metas para entender as necessidades do empreendimento.

Benchmarking

benchmarking consiste em analisar os modelos de sucesso oferecidos em organizações similares ou que enfrentam os mesmos desafios. E, após encontrar esse modelo, é importante definir metas que funcionam como degraus entre as atividades atuais e a prática de excelência. Logo, é uma forma de tirar do papel essa prática que é tão importante para o empreendedorismo.

Melhoria da eficiência operacional

As metas SMART são uma forma acessível de melhorar a eficiência operacional, especialmente em pequenas e médias empresas. Para isso, o planejamento deve identificar a lacuna entre o desempenho esperado e realizado, considerando indicadores como desperdícios, custos, produtividade, qualidade, entre outros.

Depois disso, as metas funcionam como degraus. Em vez de tentar alcançar o desempenho de alta performance imediatamente, o gestor fixa o próximo nível. Com o alvo, busca-se as estratégias e medidas para alcançar as metas, como treinamentos e mudanças em processos, dando o próximo passo de eficiência operacional.

Como são aplicadas?

As metas SMART são aplicadas sempre que precisamos detalhar os objetivos. Além disso, durante o planejamento, o gestor pode criar diferentes modelos para orientar os profissionais da empresa. Veja algumas formas de aplicação.

Especificando um objetivo

A empresa pode ter um propósito que não é claro para os colaboradores, como aumentar a participação no mercado ou ter uma boa lucratividade. Nesses casos, as metas SMART são utilizadas para definir com exatidão o que deve ser alcançado. Por exemplo, aumentar a participação em 10% no mercado local.

Transformando o objetivo em passos

Também podemos organizar as metas sequencialmente, formando um mapa até o objetivo pretendido pela empresa. Se o negócio tem o projeto de abrir loja, por exemplo, o gestor pode construir o caminho até o resultado pretendido com metas:

  • Criação do projeto;
  • Levantamento de recursos;
  • Escolha dos responsáveis pela construção;
  • Início da obra;
  • Conclusão da obra e a inauguração.

Outro caso é usar a metodologia para desdobrar a missão da empresa e seus objetivos em passos claros ao longo do tempo, dentro de um plano de negócios. Desse modo, é possível ter um planejamento mais atingível.

Aumentando um padrão de qualidade

Em vez de uma aplicação sequencial, as metas podem ser aplicadas como degraus de eficiência em uma determinada área ou competência. É possível, por exemplo, melhorar uma competência do colaborador exigindo 5 pontos na primeira avaliação, 7 na segunda, 9 na terceira e assim por diante.

Elaborando o mapa estratégico

Outro exemplo de uso das metas SMART é a criação de mapas estratégicos por meio do Balanced Scorecard. Nesse modelo, é desenhada a estrada que será caminhada pela organização a partir do equilíbrio de metas em 4 perspectivas:

  • Perspectiva financeira — receitas, despesas e lucratividade, por exemplo;
  • Perspectiva do cliente — vendas, satisfação do cliente, taxa de conversão etc.;
  • Perspectiva dos processos internos — produtividade na empresa, controle de qualidade, turnover, entre outros;
  • Perspectiva de aprendizado e crescimento — treinamentos, clima organizacional e satisfação dos colaboradores.

Todas as perspectivas formam o mapa estratégico. A ideia é entender as relações de causa e efeito entre as metas nesses diferentes ângulos de abordagem, distribuindo os esforços de maneira equilibrada.

Como melhorar os resultados?

Os gestores podem utilizar outras técnicas e ferramentas para tornar a contribuição das metas SMART ainda mais relevante. Como dito, a metodologia é bastante flexível e adapta-se bem a qualquer etapa de planejamento.

1. Utilize indicadores de desempenho

Uma primeira ação é usar os indicadores de desempenho como base para fixar as metas. Por exemplo, se você quiser melhorar os resultados em uma pequena empresa, pode acompanhar índices de turnover e redução de custos. Essas são dificuldades comuns nessas organizações.

2. Deixe as metas à vista

As metas de equipe podem ser expostas em quadros, monitores ou e-mails, com o objetivo de os colaboradores saberem sempre quão próximos estão dos resultados. Assim, são usados elementos visuais para incentivar as pessoas e revigorar as forças do time em busca dos resultados pretendidos pela organização.

3. Associe as metas aos incentivos

Bater uma meta deve ser algo importante também para o colaborador. Nesse sentido, muitas empresas adotam sistemas de recompensa, como comissões e bonificações. Lembre-se da importância do reconhecimento do trabalho, além da relevância da perspectiva de crescimento e do feedback positivo para quem agrega valor ao negócio.

4. Vincule as metas aos OKRs

Os OKRs são uma metodologia para definição de objetivos (objectives) e resultados-chave (key-results), bastante utilizada no planejamento estratégico e na gestão de equipes. Normalmente, o intuito é definir as diretrizes para um certo período. Assim, enfocam o próximo passo para o crescimento da empresa.

Os objetivos são o que a empresa quer ser ou realizar, como manter uma excelente satisfação do cliente. Já o resultado-chave é a situação que permite dizer que a equipe chegou lá, como alcançar 5 estrelas no aplicativo de delivery.

Ao definir objetivos e resultados-chave, as metas SMART traduzem os key-results em exigências concretas para os colaboradores. No exemplo, você pode definir a meta de atingir 5 estrelas em 95% dos próximos pedidos avaliados, com o propósito de alcançar o resultado-chave.

5. Faça revisões periódicas e pontuais

As metas podem sofrer mudanças e adaptações para lidar com diferentes cenários. Por exemplo, automatizando a emissão de notas fiscais, há uma expectativa de mais tarefas concluídas em comparação com o trabalho manual.

Em empresas que lidam com a sazonalidade, certos períodos do ano vão contar com metas mais ousadas. Enquanto isso, outros pedem o alinhamento das exigências para manter as possibilidades do time. Então, utilize os atributos (específico, mensurável, atingível, relevante e baseado no tempo) para revisar as metas fixadas e sempre melhorar.

Como mensurar os resultados das metas SMART?

Após aplicar as metas SMART, você pode usar o indicador de percentual de metas alcançadas para medir a eficiência. Se antes 50% dos colaboradores batiam suas metas e depois o número alcançou 70%, existe uma variação positiva de 20%, por exemplo.

Outro recurso é coletar o feedback. A empresa pode ouvir os colaboradores, verificando se eles sentiram efeitos positivos na produtividade e se estão satisfeitos com a nova metodologia. Aliás, é uma maneira de verificar se as metas realmente são atingíveis.

Dessa forma, as metas SMART terão seus efeitos medidos com bastante precisão, o que tende a permitir equipes cada vez mais motivadas a adotar a metodologia. Afinal, como vimos, ela traz diversos benefícios para a comunicação e produtividade do time.

Até aqui, abordamos a importância de metas para o desempenho dos colaboradores, mas elas não são os únicos fatores decisivos. Confira nosso artigo com 6 dicas práticas de como melhorar a produtividade na empresa e complemente a sua leitura!


Artigos Relacionados