2021-02-24 14:13:21 Impostos English A Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (DIRF) é realizada pela fonte pagadora para a Receita Federal do Brasil. Saiba... https://quickbooks.intuit.com/br/blog/br_qrc/uploads/2021/02/dirf-2021.jpg https://quickbooks.intuit.com/br/blog/impostos/dirf-2021/ DIRF 2021: Tudo o que você precisa saber sobre | Blog QuickBooks

Tudo o que você precisa saber sobre a DIRF 2021

6 min de leitura

É sempre importante ter atenção aos impostos e tributos para manter a situação regular e não ser surpreendido por nenhuma notícia imprevista ao longo do tempo. Isso vale também para a DIRF 2021.

Por isso, preparamos este artigo para que pessoas físicas e jurídicas (mesmo as inativas) tirem todas as suas dúvidas a respeito dessa declaração — sobretudo as mudanças e consequências em caso de não pagamento.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a sua leitura e confira a seguir!

O que é DIRF?

A Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (DIRF) é realizada pela fonte pagadora no intuito de fornecer à Secretaria da Receita Federal do Brasil mais detalhes a respeito do imposto. Vale lembrar que ela é diferente de declarar Imposto de Renda, que a maioria já faz todos os anos.

É importante registrar que fonte pagadora é toda empresa (pessoa jurídica) ou pessoa física que fez qualquer tipo de pagamento a terceiros no qual houve a retenção do imposto de renda na fonte.

Entre as informações registradas na declaração, estão:

  • os rendimentos que foram pagos a pessoas físicas domiciliadas aqui no país;
  • o valor tributado sobre a renda e as contribuições retidas na fonte;
  • os rendimentos pagos ou creditados aos beneficiários.

Além disso, estão inclusos pagamentos, crédito, entregas, emprego ou remessas a residentes ou domiciliados no exterior e os pagamentos a planos de assistência à saúde. Esse detalhamento é necessário para que haja um esclarecimento em relação a cada um dos pontos.

A DIRF é um processo obrigatório para empresas e pessoas físicas que são fontes pagadoras e é feita anualmente em formato eletrônico. Ela existe para que os tributos sejam apurados na Receita Federal, cumprindo a legislação vigente e mantendo a regularidade com o Governo.

O que muda na DIRF 2021?

De modo geral, a ideia e o propósito da declaração não mudaram neste ano, mas o layout do programa usado para emiti-la sim.

Por isso, é válido atentar para o uso do sistema na geração do arquivo conforme declara a ADE Cofis n° 34. A leitura é necessária para uma visão mais esclarecida sobre essa mudança em relação às declarações nos anos anteriores.

Quem tem que entregar?

Anualmente, a Receita Federal publica quais são as regras em relação a quem deve declarar a DIRF.

Existem casos obrigatórios, como as pessoas físicas ou jurídicas que fizeram a retenção na fonte do Imposto de Renda devido a pagamentos ou créditos de rendimentos, mesmo que isso ocorra por um único mês do ano-calendário. Entre as instituições que se enquadram nessa regra, podemos citar:

  • empresas públicas ou privadas com sede nacional;
  • filiais ou representações de empresas com sede no exterior;
  • associações sindicais de empregados e empregadores;
  • gestoras de fundos de investimentos;
  • condomínios edilícios;
  • organizações individuais.

Também existem situações em que as instituições não chegam a ter o imposto de renda retido, mas precisam entregar a declaração. Entre elas:

  • as que organizaram desportos olímpicos (regional ou nacionalmente);
  • os candidatos a cargos eletivos (incluindo seus respectivos vices e suplentes);
  • as pessoas físicas e jurídicas residentes e domiciliadas em território nacional que fizeram algum tipo de pagamento, crédito, entrega, emprego ou remessa a pessoa física ou jurídica residente ou domiciliada em outro país.

Como ficam as empresas optantes pelo Simples Nacional?

Dentro desses pontos, é importante ressaltar que quem paga seus impostos pelo Simples Nacional também precisa fazer o recolhimento da DIRF para se manter regular no ano seguinte.

É por isso que um profissional da contabilidade é tão importante. Ele sabe exatamente em qual situação cada caso se encaixa e orienta sobre o que é necessário para transmitir a declaração corretamente — o que evita problemas e até multas futuramente.

Como entregar?

O primeiro passo é baixar o programa pelo qual a guia é emitida no site da Receita Federal, o Programa para declarar a DIRF 2021. As opções disponíveis variam de acordo com o sistema operacional de cada computador.

Desse modo, o declarante seleciona o que diz respeito ao seu aparelho, instala e preenche com os dados solicitados. Quando terminar esse processo, há duas etapas pelas quais sua DIRF vai passar.

A primeira é quando ela ainda está em processamento, nos casos em que a Receita Federal ainda estiver analisando a declaração.

A segunda é quando, depois de aceita, é enviada uma notificação de que a declaração foi aprovada.

Caso ela seja rejeitada por conter erros, é preciso fazer a retificação, ou seja, a declaração anterior será substituída integralmente por outra nova. Nesse caso, é fundamental checar se são erros de preenchimento, formato, dados etc. Além disso, ela pode ser cancelada, o que demonstra que a DIRF perdeu seus efeitos legais.

Outro detalhe que precisa ser ressaltado é o prazo. A DIRF de 2021 precisa ser enviada até as 23h59 min do dia 26 de fevereiro deste mesmo ano de acordo com Instrução Normativa RFB nº 1.990/2020.

O que acontece se a DIRF não for entregue?

Nesses casos, pode haver multas, as quais têm um valor mínimo de R$ 200,00 em casos de pessoas físicas, pessoas jurídicas inativas e pessoas jurídicas que são optantes pelo Simples Nacional. Para os demais casos, o valor mínimo é de R$ 500,00.

Caso o prazo não seja cumprido, a multa aplicada equivale a 2% ao mês-calendário. Esse percentual se aplica ao total de contribuições e tributos que são apresentados na DIRF.

Além disso, de acordo com a Instrução Normativa n° 197/2002, o declarante está sujeito à multa quando forem constatadas na DIRF irregularidades que não forem sanadas no prazo fixado em intimação, como a falta de indicação do número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) ou no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ).

Outra irregularidade que gera divergência na declaração é a indicação do número do CPF de forma incompleta. A informação deve conter 11 dígitos, sendo os 9 de base e os dois últimos de dígito verificador. Exemplo: 123.456.789-10

Além de entregar a DIRF no prazo correto, não se esqueça de tomar o cuidado de verificar as informações que foram declaradas para que não haja irregularidade no registro.

Esperamos que este artigo tenha ajudado a compreender melhor a DIRF 2021, suas demandas, datas, declarações, como deve ser feita, entre outros pontos. Lembre-se de que assim você fica de acordo com as leis e mantém as questões burocráticas todas em dia.

Para que mais pessoas tenham acesso a este conteúdo e coloquem em prática todas essas regras e dicas para a DIRF, não deixe de compartilhar o post em suas redes sociais!

As informações podem estar resumidas e, portanto, incompletas. Este documento / informação não constitui, e não deve ser considerado um substituto para aconselhamento jurídico ou financeiro. Cada situação financeira é diferente e as informações oferecidas são gerais. Entre em contato com seus consultores financeiros ou legais para obter informações específicas sobre sua situação.

Frase dinâmica vendedora de acordo com a caregoria para ter um melhor efeito!

Oferta especial

Até
70
%
off
Teste agora


Sistema de Controle Financeiro para seu Negócio

Veja também

Tudo que você precisa saber sobre DASN-SIMEI

Todo empresário tem obrigações fiscais principais (que são a apuração e o…

Leia Mais

Como definir personas? Confira um guia completo!

Imagine que você precisa presentear alguém que não conhece. É uma tarefa…

Leia Mais

14 ferramentas de marketing digital que você precisa conhecer

Com os avanços da tecnologia, a transformação digital e as mudanças no…

Leia Mais