Image Alt Text
Intuit

Jornada ao híbrido: como estamos nos preparando para retornar ao escritório

Desde o ano passado, quando a pandemia de COVID-19 pegou o mundo de surpresa, ninguém imaginava que o “novo normal” duraria por tanto tempo. Antes mesmo do avanço da vacinação em muitos países, líderes empresariais já discutiam como seria o retorno ao escritório e se, de fato, seria necessária a presença no ambiente físico de trabalho.

Aqui no Brasil, especificamente, ainda não temos uma data exata para voltarmos ao escritório. O que sabemos é que, globalmente, seremos cautelosos na avaliação recorrente da situação sanitária de cada país em que atuamos para garantir, em primeiro lugar, a saúde e segurança dos nossos colaboradores, suas famílias e comunidade.

Independente de quando for o nosso retorno, globalmente, temos um plano estruturado e flexível para a adoção do modelo híbrido de trabalho, que considera 4 pilares principais:

1. O senso de pertencimento e conexão entre os nossos colaboradores;

2. O fomento contínuo à criatividade e inovação;

3. A manutenção de uma cultura de agilidade, velocidade e produtividade;

4. A atração e retenção dos melhores e mais diversos talentos.

Essa estratégia busca garantir que teremos o melhor do mundo virtual — de flexibilidade e menos tempo em deslocamentos até o escritório — com o melhor do mundo físico: as conexões interpessoais e a colaboração entre os times. Para isso, reimaginamos como seria esse “escritório do futuro” e estamos adequando os nossos ambientes de trabalho para termos espaços mais dinâmicos, que favorecem a cocriação, conexões sociais e espírito de inovação.

Além disso, o modelo híbrido nos permite aumentar o nosso alcance no que diz respeito à atração de talentos, pois, ao aumentar a nossa presença em novas geografias, teremos acesso a mais pessoas e conseguiremos formar um time cada vez mais diverso. 

Retorno planejado e gradativo

Inicialmente, o nosso plano contempla uma abertura dividida em 3 fases. Assim que for possível e seguro reabrir, teremos uma primeira fase, onde permitiremos que apenas 40% do nosso time, de forma voluntária, retorne às atividades no escritório. Serão priorizados os colaboradores que enfrentam maiores desafios a se adaptarem 100% ao modelo virtual — e estes precisarão passar por monitoramentos diários de saúde, além de usarem máscaras e manterem o distanciamento social. 

A segunda fase, prevista para começar 30 dias após a abertura inicial (caso não haja nenhum contratempo) aumentará gradativamente a capacidade do escritório para mais de 40% dos colaboradores, e medidas de segurança serão reduzidas. Já na última fase, que só acontecerá quando nós determinarmos ser 100% seguro para reabrir totalmente, esperamos que nossos times de colaboradores compareçam ao escritório entre 2 a 3 dias por semana. E aqui temos um grande diferencial: vamos empoderar nossos times para decidirem quando estarão presencialmente no escritório.

À medida em que nossos colaboradores começarem o retorno gradativo das suas atividades, eles terão também papel fundamental para nos ajudar a moldar como será a experiência das pessoas nos nossos escritórios. Faremos testes que avaliarão desde a eficiência dos espaços colaborativos até mesmo o tipo de mobiliário e ferramentas que o formato híbrido vai demandar. Como tudo que fazemos, será com base no feedback do nosso time que conseguiremos evoluir e cocriar o nosso futuro enquanto empresa. 

Neste momento, não existe resposta certa. O que existe é a certeza de que vamos sempre priorizar a saúde e a segurança do nosso time e que é a nossa cultura que garante que continuemos entregando o máximo de valor para os nossos clientes. O resto vamos descobrir juntos. 

Quer fazer parte dessa jornada? Vem conhecer nossas vagas!


Artigos Relacionados