2021-03-03 14:26:58 Planejamento Financeiro English A reserva de emergência é uma quantia de dinheiro guardada para situações inesperadas e que afetam seu equilíbrio financeiro. Venha... https://quickbooks.intuit.com/br/blog/br_qrc/uploads/2021/03/reserva-de-emergencia.jpg https://quickbooks.intuit.com/br/blog/planejamento-financeiro/reserva-de-emergencia/ Como montar uma reserva de emergência para sua empresa? | Blog

Como montar uma reserva de emergência para sua empresa?

7 min de leitura

Uma boa gestão financeira é o primeiro para o sucesso de uma empresa. Por esse motivo, aprender a montar uma reserva de emergência pode ajudá-lo a enfrentar crises e manter-se em funcionamento em tempos difíceis.

Apesar de ser um desafio, empreender é uma tarefa muito gratificante. Mesmo com uma série de obrigações a cumprir, detalhes a acertar e decisões a serem tomadas, o bom empreendedor está sempre motivado e atento a tudo o que pode contribuir para o seu crescimento.

Neste post, falaremos sobre a reserva de emergência e suas contribuições não apenas para sua empresa, mas também para sua vida pessoal. Confira!

O que é a reserva de emergência?

A reserva de emergência nada mais é do que uma quantia de dinheiro guardada para situações inesperadas e que afetam seu equilíbrio financeiro. Ou seja, é uma espécie de poupança para momentos emergenciais.

Essa reserva pode ajudar bastante em nossa vida financeira pessoal. É ela que trará segurança caso você sofra um acidente de carro ou enfrente uma doença grave, por exemplo. Já no cotidiano empresarial, ela é uma estratégia a mais para a superação de uma crise financeira e até de uma pandemia mundial, como a de COVID-19.

Desse modo, podemos dizer que o papel do fundo de emergência é dar tranquilidade para que a empresa siga em frente em cenários conturbados. Exatamente por isso, ele não deve ser usado para quitar gastos do dia a dia — exceto em caso de grandes imprevistos.

As vantagens de ter uma reserva de emergência

O primeiro passo para garantir um futuro tranquilo é manter as contas organizadas. O segundo é construir uma reserva financeira. Apesar disso, mais da metade dos brasileiros não toma esse cuidado.

Ainda tem dúvidas sobre a importância dessa prática? Então confira algumas vantagens de se planejar e guardar dinheiro para situações inesperadas:

  • traz mais segurança para o seu futuro;
  • permite se planejar para novos investimentos;
  • evita o endividamento;
  • coloca à disposição um dinheiro rápido para emergências.

A importância de separar a reserva pessoal da empresarial

O controle financeiro é essencial para o nosso sucesso pessoal e profissional. Aliás, você já deve ter lido muito a respeito da necessidade de separar suas contas pessoais das da empresa — uma das premissas para a sustentabilidade de um negócio.

Podemos afirmar que investir em uma reserva financeira pessoal e em uma outra empresarial é uma boa prática. Essas duas partes da vida de um empreendedor jamais devem ser confundidas.

Em resumo, separar as contas das reservas financeiras é uma estratégia inteligente. Isso melhora a organização das finanças, traz tranquilidade ao gestor e ainda facilita o alcance de suas metas.

Um passo a passo prático e simples para montar suas reservas

Não dá para prever o futuro, por isso não é exagero dizer que todas as pessoas e todas as empresas precisam de uma reserva financeira. Mas como montá-la?

Há quem pense que essa é uma tarefa complexa demais para ser executada. No entanto, mostraremos como passos simples podem ajudá-lo a atingir esse objetivo.

Como os dois fundos emergenciais jamais devem se misturar, separamos dicas específicas para cada caso. Confira!

Reserva financeira pessoal

Enfrentar uma doença grave ou um acidente pode complicar um pouco as coisas em casa, certo? A reserva financeira pessoal existe para apoiar você nesses momentos, garantindo que contas essenciais, gastos com alimentação e até a fatura do cartão de crédito sejam quitadas.

A questão é: por onde começar? O primeiro passo é fazer um planejamento financeiro. Isso mesmo: comece registrando quanto você ganha e quanto você gasta. Seja detalhista e não deixe nada de fora.

Feito isso, é hora de verificar se existem dívidas em aberto e tentar negociá-las. Limpar o nome traz tranquilidade e aumenta suas chances de conseguir crédito no mercado. Por isso, antes de pensar em guardar dinheiro, coloque suas contas no verde.

O próximo passo é controlar seus gastos, principalmente com o cartão de crédito. Tome cuidado com pequenas parcelas que se somam e se transformam em uma fatura alta demais. Por fim, comece a poupar e reservar um pouco dessa quantia para as emergências.

Reserva financeira empresarial

A reserva financeira empresarial serve de suporte para que o negócio ultrapasse períodos de crise e consiga se reerguer. Lembrando que o controle financeiro aumenta suas chances de sobrevivência.

Para montar esse fundo, comece monitorando o fluxo de caixa — isto é, suas receitas e despesas. A dica é usar um sistema de gestão financeira, já que a ferramenta facilita o lançamento e a análise dos gastos fixos e variáveis da empresa.

O passo seguinte é estipular uma meta de redução de gastos. Nesse caso, é preciso mapear os processos e identificar gargalos e operações que geram desperdícios.

Feito isso, podemos começar a planejar a reserva de emergência. Defina um percentual do seu lucro que será direcionado para essa finalidade. Aqui, é preciso entender bem o conceito de lucratividade e suas variantes, especialmente a margem de contribuição.

Sobre o valor a ser poupado, precisamos destacar que ele varia conforme suas necessidades e os ganhos obtidos pela empresa. Isso significa que o fundo de emergência deve ser personalizado.

Mas atenção: por questões de segurança e para garantir que o dinheiro guardado cumpra com o seu papel, é interessante que os valores guardados consigam cobrir, ao menos, 6 meses de despesas. Assim, seu negócio terá mais tranquilidade para se reerguer e voltar a crescer.

Vejamos um exemplo: uma empresa que avalia mensalmente seu fluxo de caixa observou que gasta em torno de R$ 4 mil e tem um lucro médio de R$ 5 mil.

Seus gestores decidiram reinvestir 20% desse valor no negócio, ou seja, R$ 1 mil. Dos R$ 4 mil restantes, quanto deve ser usado para uma reserva financeira?

Como já destacamos, não existe uma resposta pronta para essa pergunta. Tudo depende das suas necessidades, despesas, faturamento e até da sua meta para o fundo de emergência. Daí a importância de analisar relatórios de fluxo de caixa com frequência para tomar uma decisão segura.

No exemplo acima, caso 20% do lucro fosse destinado a uma reserva financeira, o negócio teria o equivalente a R$ 12 mil poupados em um ano. Esse percentual pode ser ampliado, conforme as possibilidades.

Onde investir a reserva de emergência?

Você conseguiu montar uma boa reserva de emergência e agora não sabe onde guardar esse dinheiro. Se pensou na poupança, é importante lembrar que essa é a opção menos vantajosa.

Existem outras modalidades de investimento tão seguras quanto ela, mas que trazem benefícios extras ao seu negócio. Por isso, fique atento a três fatores: baixo risco, liquidez e rentabilidade.

Explicando melhor, seu dinheiro precisa estar seguro e render bem. Além disso, é fundamental que a retirada dos valores possa ser feita de forma rápida e simples — o ideal é encontrar investimentos com liquidez diária. Veja algumas opções:

  • Tesouro Direto;
  • CDB;
  • LCI e LCA.

A utilização de um sistema de gestão financeira

Agora que você já aprendeu a montar suas reservas de emergência, é hora de entender como a tecnologia pode ser uma grande aliada nesse processo. Afinal, a automatização do controle financeiro evita erros e facilita o alcance de suas metas.

Fazer uso de um sistema de gestão financeira, como o Quickbooks, é uma decisão estratégica para a sua empresa. Aliás, empreendedores de sucesso sabem como uma boa ferramenta pode fazer a diferença.

Em um mercado tão competitivo e com tantas tarefas para gerenciar, os gestores precisam ser eficientes e garantir uma boa administração do dinheiro da empresa. Com o sistema da Intuit, diversas tarefas do seu cotidiano se tornarão mais fáceis, como:

  • controle de recebimentos;
  • emissão de notas fiscais;
  • emissão de boletos;
  • acesso a relatórios financeiros;
  • importação de dados bancários para dentro do sistema.

Na prática, o gerenciador financeiro é um grande aliado do seu negócio. Ao automatizar a emissão de relatórios financeiros, ele otimiza seu tempo e ainda torna a tomada de decisão mais fácil e segura.

Não podemos deixar de mencionar que o software permite que os gestores tenham mais visibilidade sobre o saldo de suas contas bancárias e de seu fundo para emergências. Assim, é possível decidir quanto investir e até planejar novas metas de redução de custos.

Como vimos, nenhuma das dicas apresentadas são impossíveis de serem colocadas em prática. Na verdade, você só precisa estar disposto e focado em montar sua reserva de emergência. Afinal, esse é um passo importante para que sua empresa se torne cada vez mais próspera e sólida no mercado.

Gostou deste post? Siga as nossas redes sociais e fique por dentro de tudo o que é importante para sua empresa crescer. Estamos no Facebook, no Instagram, no LinkedIn e no YouTube!

As informações podem estar resumidas e, portanto, incompletas. Este documento / informação não constitui, e não deve ser considerado um substituto para aconselhamento jurídico ou financeiro. Cada situação financeira é diferente e as informações oferecidas são gerais. Entre em contato com seus consultores financeiros ou legais para obter informações específicas sobre sua situação.

Frase dinâmica vendedora de acordo com a caregoria para ter um melhor efeito!

Oferta especial

Até
70
%
off
Teste agora


Sistema de Controle Financeiro para seu Negócio

Veja também

Tudo o que você quer saber sobre marketing digital para contabilidade

Além de ser uma escolha estratégica, apostar em marketing digital para contabilidade…

Leia Mais

14 ferramentas de marketing digital que você precisa conhecer

Com os avanços da tecnologia, a transformação digital e as mudanças no…

Leia Mais

O que é bitributação? Veja exemplos e como funciona

O gerenciamento de tributos cria oportunidades para as empresas, pensando em uma…

Leia Mais