Image Alt Text
contadores

Planejamento de crédito emergencial: como fazer para seus clientes?

Como se sabe, situações difíceis costumam exigir medidas criativas e efetivas. Diante do cenário econômico desafiador enfrentado por empresas de diferentes portes, a obtenção de recursos extras passa a ser um amparo providencial. Ocorre que, na prática, a aprovação desse tipo de pedido depende de um planejamento de crédito emergencial impecável.

Vale lembrar que, se o pior já passou, a economia permanece em processo de retomada. Gradual, ele tende a seguir o ritmo da força e capacidade de recuperação das organizações. Por isso, causa estranhamento a queda abrupta da oferta de crédito ao empresário. Em um comparativo com 2020, o incentivo financeiro concedido em 2021 será de apenas 8%.

Essa escassez destaca mais ainda a importância de se fazer um planejamento adequado. Desse modo, é possível se preparar para encontrar soluções alternativas, a fim de garantir o dinheiro necessário para manter o funcionamento do negócio — com boas perspectivas para um futuro próximo.

Trata-se, inclusive, de um serviço que os contadores precisam oferecer aos clientes e que está atrelado à chamada contabilidade estratégica. Como? Veja, na sequência, tudo o que você precisa saber sobre o assunto!

Quais são os programas de crédito emergencial?

A recente crise financeira vivenciada por milhares de empresas espalhadas pelo Brasil fez com que o governo federal criasse programas voltados a diferentes tipos de organização.

O problema é que, para este ano, apenas o Pronampe (Programa Nacional de Apoio a Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) foi renovado. Isso significa que todo aquele volume superior a R$ 100 bilhões ofertado no período anterior por iniciativa do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social) foi descontinuado.

Em uma tentativa de amenizar a situação crítica de muitas microempresas e organizações de pequeno porte, uma nova linha de crédito foi lançada pela Caixa Econômica Federal e Sebrae. Vale lembrar que o MEI também pode ser contemplado por esse programa.

Há, também, ações pontuais elaboradas e aplicadas pelos estados. Em São Paulo, por exemplo, foi criado um programa de crédito emergencial para ajudar a reabilitar as empresas que atuam na área da cultura. Ao todo, o governo local disponibilizou R$ 50 milhões.

O que tem sido considerado para a liberação dos recursos de emergência?

Existem critérios e condições específicas para aderir a cada um dos programas em andamento. No caso daquele desenvolvido pelo governo paulista, por exemplo, as empresas participantes não devem constar no cadastro de inadimplentes da Serasa.

Aberto a organizações de portes variados (incluindo EIRELI e LTDA), o crédito emergencial em questão também exige a comprovação de realização dos cursos de empreendedorismo criados pelo estado. Eles estão inclusos nos projetos educacionais Empreenda Mulher e Empreenda Rápido.

Já no que se refere à proposta conjunta de Sebrae e Caixa, a ideia é abranger tanto os negócios industriais, como aqueles compreendidos pelas áreas de serviço e comércio.

A concessão de empréstimo, entretanto, depende da ausência de restrições tanto ao CNPJ como aos CPFs dos envolvidos. Soma-se a isso o período de faturamento do negócio desde sua abertura. Ele deve ser de, no mínimo, 12 meses.

Por fim, o Pronampe é dedicado exclusivamente aos negócios que deram início às suas atividades até o ano de 2019. Por outro lado, diferentemente dos outros dois programas mencionados, a liberação de recursos não está condicionada à inexistência de restrições junto aos órgãos de proteção ao crédito.

Ocorre que, na prática, nada impede que as instituições financeiras credenciadas a conceder o empréstimo façam suas análises de crédito habituais. Por conta disso, o próprio Sebrae recomenda que o empreendedor normalize eventuais pendências financeiras antes de dar entrada no processo.

Qual a importância da concessão do crédito emergencial?

Cada um desses projetos é fundamental para que, acima de tudo, as empresas afetadas (em maior ou menor grau) por períodos de recessão econômica consigam se manter firmes até a tempestade passar.

Cabe salientar que cenários econômicos atípicos, como o atual, impactam todos os elos da corrente que sustentam um negócio. Com a queda generalizada do consumo em variados setores, a baixa do faturamento se torna praticamente inevitável.

Em pouco tempo, diversos gestores se veem com um enorme problema de saúde financeira, o que prejudica o cumprimento de seus compromissos junto a fornecedores. Consequentemente, correm o risco de perder parcerias essenciais para a manutenção e possível expansão dos negócios.

Justamente para impedir esse efeito dominó perverso, as linhas de crédito emergencial visam aliviar as contas das empresas. Ao mesmo tempo, elas garantem o capital de giro minimamente aceitável para dar continuidade às atividades operacionais das organizações que estão em dificuldade.

Isso explica por que a não renovação de todos recentes programas emergenciais de crédito foi uma decisão controversa da gestão governamental. É importante notar que o auxílio se torna ainda relevante do ponto de vista dos pagamentos feitos por empresas no ano passado.

Afinal, elas precisam de fôlego financeiro inclusive para honrar os acordos firmados com as instituições que concederam empréstimos no último período. Portanto, o pleno equilíbrio do próprio sistema financeiro depende da concessão de novos empréstimos.


Como funciona o planejamento de crédito?

Esse planejamento envolve tanto a definição do valor ideal a ser emprestado quanto a projeção de fluxo de caixa. Do mesmo modo que o montante a ser concedido prevê a existência de uma fonte, a empresa deve ter um plano para pagar as parcelas do empréstimo.

Simultaneamente, existe o agrupamento de uma série de documentos digitais ou impressos exigidos pela instituição encarregada de avaliar a solicitação. A esse respeito, a documentação mais comum costuma considerar a inclusão dos seguintes itens:

  • CNPJ da empresa;
  • Identificação de todos os sócios;
  • Contrato social autenticado na Junta Comercial correspondente;
  • Lista do conjunto de modificações feitas no contrato;
  • Anuência para análise da situação da empresa perante a central de risco do SISBACEN;
  • Alvará de funcionamento dentro da data de validade;
  • Balanço patrimonial acompanhado da DRE dos 3 últimos períodos de exercício;
  • Comprovante de declaração do Imposto de Renda.

São demandados outros documentos mais específicos, conforme os requisitos relacionados a cada programa de crédito. Fica fácil deduzir que poucos empreendedores estão prontos para cuidar de tudo isso sozinhos.

Por que oferecer esse serviço aos clientes?

Não basta simplesmente solicitar um novo crédito. Para que seja bem-sucedido, o processo precisa ser pensado em suas mínimas peculiaridades. Imagine, então, um empresário preocupado com o contexto financeiro do seu negócio e tendo de lidar com a pressão e burocracia características de empréstimos.

Em tais circunstâncias, entra em cena a atuação indispensável de um escritório contábil. Desde que haja suporte apropriado, o empresário tem muito mais chances de conseguir um empréstimo alinhado às suas necessidades e que não comprometa seu fluxo de caixa. Por todos esses motivos — já adicionados à extensa lista de documentos —, tudo o que o empreendedor mais quer é contar com alguém capacitado para dar andamento às etapas do processo.

Cientes do momento delicado vivido pelos clientes, os contadores devem enxergar a elaboração de um planejamento de crédito emergencial minucioso como uma grande oportunidade de crescimento. De fato, essa é uma chance imperdível para você demonstrar como sua expertise conta muito na hora de programar a recuperação financeira de seus clientes. O resultado final se traduz tanto pelo aumento do nível de satisfação das pessoas atendidas pelo seu escritório quanto pelo aparecimento de outras empresas interessadas no mesmo serviço.

Como prestar esse serviço na prática?

Ao lado da perícia contábil, o desenvolvimento do planejamento de crédito emergencial ajuda a comprovar que o papel do contador não se limita a fazer a escrituração contábil das empresas. Resta apenas a necessidade de atentar a alguns aspectos essenciais para que o serviço proporcione os resultados esperados. Vamos a eles!

Analise a necessidade dos clientes

Cada cliente do seu escritório tem uma realidade financeira específica, e é preciso considerar esse “detalhe” na criação de qualquer planejamento. Alguns podem apresentar um quadro bem desfavorável, enquanto outros exibem dados aparentemente estáveis, mas propícios a sofrer impactos derivados de novas guinadas bruscas da economia.

Observe que ambas as circunstâncias preveem a requisição de crédito emergencial. A diferença reside no grau de urgência com a qual ela precisa ser feita. Logo, o monitoramento é importante para listar as empresas que, ao que tudo indica, têm mais pressa.

Outro fator preponderante consiste no mapeamento constante das atualizações de programas de crédito disponíveis. Isso, porque, em tempos de crise, as soluções são dinâmicas. Dito de outra forma, novas ofertas de crédito podem surgir de acordo com as circunstâncias.

Organize os documentos necessários

Com base nas condições impostas pelas instituições financeiras encarregadas de avaliar o pedido de empréstimo, separe a documentação a ser usada. A ideia é ter o cuidado de não deixar faltar nenhum documento, o que poderia atrasar a tão aguardada resposta.

Também é primordial colocar os documentos na ordem de listagem fornecida pela instituição incumbida do processo. Esse detalhe facilita o trabalho de análise, além de auxiliar na própria conferência final dos itens a serem apresentados.


Agende uma reunião com o representante da instituição financeira escolhida

O propósito desse encontro é esmiuçar as possibilidades de empréstimo, a fim de compará-las. Trata-se, portanto, do momento de acordar as melhores condições (prazos, carência e taxa de juros) — isso, evidentemente, com relação às opções que permitam tal maleabilidade.

Lembre-se de que o objetivo principal é chegar ao término da conversa com propostas bem encaminhadas para cada um dos clientes que estejam necessitando de crédito emergencial.

Repasse as propostas aos clientes

Se você chegou até aqui, sinal de que o crédito de um ou mais clientes foi pré-aprovado. Agora, falta retomar os pontos mais relevantes das propostas e explicar por que certa linha de crédito é mais vantajosa do que as demais.

Para facilitar o entendimento, vale a pena elaborar uma apresentação visual que resuma o conteúdo principal de maneira objetiva. No entanto, a parte mais importante está ligada à fala, que deve transmitir confiança e tranquilidade para os clientes.

Dessa forma, eles se sentirão seguros ao aceitar a adesão à proposta selecionada como a mais interessante para colocar suas empresas em uma situação de relativo conforto. Em caso de dúvidas, mantenha-se aberto para saná-las.

Quais aspectos não podem faltar?

Assim como em um planejamento financeiro propriamente dito, é preciso tratar a busca de crédito emergencial como um processo de médio e longo prazo. Portanto, deve-se lançar uma visão panorâmica sobre as finanças da empresa e a conjuntura econômica dos próximos meses e, sobretudo, anos. Isso significa que a captação de recursos junto a terceiros deve prever a cobertura de uma receita suficiente para que, lá na frente, o empréstimo continue sendo uma solução, e não um problema.

Dito isso, o planejamento de crédito também se revela uma ótima ocasião para ajudar seus clientes a conseguirem o empréstimo desejado e, concomitantemente, prepararem-se para pagá-lo conforme acordado. Talvez seja o momento inclusive de, se já não o fizer, prestar outros serviços, como o de contabilidade consultiva. Muitas vezes, o empreendedor desconhece a possibilidade de se praticar a elisão fiscal, o que aliviaria muito o caixa da empresa.

Quais ferramentas podem ajudar?

Felizmente, a lista de tarefas características de um planejamento de crédito efetivo e objetivo é muito facilitada com o uso de algumas ferramentas tecnológicas. Com o auxílio de um sistema de gestão financeira como o QuickBooks desenvolvido especificamente para você, contador, o acesso aos dados dos seus clientes é feito de maneira ágil e precisa. A solução ideal deve ser pensada para integrar os módulos fiscal e contábil, além da capacidade de gerar um plano de contas.

O último, por sinal, é muito importante para monitorar o estado das finanças de uma empresa, já que está vinculado ao registro das entradas e saídas da organização. Esses dados são decisivos para criar um bom planejamento tributário e orçamentário, por exemplo. Na prática, você passa a ter em mãos um conjunto de informações que aprimora a contabilidade financeira. Ao mesmo tempo, percebe a verdadeira urgência de crédito por parte de seus clientes de maneira antecipada.

Quanto antes o planejamento de crédito emergencial for iniciado, melhor e mais completo ele será. Isso, é claro, amplia as chances de sucesso na captação de recursos essenciais para a recuperação financeira dos negócios dos seus clientes.

Gostou da ideia de inserir esse serviço na lista do seu escritório contábil? Aproveite para rever e refazer seu plano de negócios!


Artigos Relacionados