2017-09-19 10:41:09 Empreendedorismo English Consulte nosso guia e descubra de maneira fácil se vale a pena formalizar seu negócio ou se trabalhar como autônomo é mais vantajoso... https://d2bnb9dvbpjkfy.cloudfront.net/wp-content/uploads/2017/09/09020915/Ser-autonomo-ou-abrir-uma-empresa-veja-o-que-mais-vale-a-pena-para-voce.jpg abrir uma empresa Ser autônomo ou abrir uma empresa: veja o que vale a pena

Ser autônomo ou abrir uma empresa: veja o que mais vale a pena

3 min de leitura

Em meio à crise econômica que está tirando o sono de muitos brasileiros, o trabalho autônomo tem se tornado a saída para muitos brasileiros em busca de estabilidade financeira. Mas, você já parou para pensar se vale a pena abrir uma empresa ou continuar atuando como autônomo?

Se você tem dúvidas sobre qual o tipo de formalização é melhor para você, nós separamos alguns pontos que são importantes ficar de olho.

  • Avalie o cenário, a concorrência e a viabilidade da prestação de serviço

A quantidade de concorrentes diretos pode ser intimidadora no primeiro momento de pesquisas, mas isso não deve influenciar no processo de descobertas. Pois a preferência por fornecedores, como bem sabemos, se dá especialmente de experiências positivas.

Nesta etapa é preciso analisar algumas questões: a minha prestação de serviço é necessária para a sociedade? Se sim, como é o cenário? É possível empreender de maneira autêntica neste setor? Entre outros questionamentos.

Leia também: 6 profissionais que você deve consultar antes de abrir uma empresa

Além disso, a viabilidade não depende somente de fatores externos, mas a falta de conhecimento, estrutura, reserva financeira e até sabedoria de diferentes profissionais. E como falamos no post de consultoria para abertura de empresas, isso pode ser prejudicial no processo de manutenção e abertura de empresa, pois além de custos recorrentes como: salários, despesas e aluguéis, existe a possibilidade de recorrer aos fundos emergenciais, que, se inexistentes, prejudicam o controle financeiro da empresa.

Para evitar situações como essa, é importante obter recursos financeiros antes de empreender, seja com economias ou empréstimos. E para administrar esse dinheiro com clareza, o proprietário conta com o cálculo de capital de giro, que garante a circulação correta dos recursos.

  • Entenda as tributações, o licenciamento e as autorizações necessárias

Um fator importante é a regularização de profissionais liberais ou empresas, que garante a execução da sua atividade, seja local ou em expansão, sem adversidades contábeis e fiscais.

Os profissionais liberais devem se cadastrar na prefeitura através do CCM (Cadastro de Contribuintes Mobiliários), a inscrição municipal que garante a atuação da atividade no município.

Existe o método de abertura simples de CNPJ, o MEI (Microempreendedor individual), que é uma das modalidades de PJ (prestação de serviço) cadastradas pela Prefeitura, e conta com a vantagem da isenção de tributos federais e um pagamento mensal de uma taxa fixa que não ultrapassa R$55 reais, destinados a Previdência Social, ICMS e ISS (Imposto Sobre Serviço).

Leia também: Começar um negócio próprio ou abrir uma franquia?

Por outro lado, o ME (microempresa) possibilita um faturamento maior, inclusão de sócios e atividades, linhas de crédito e emissão de notas fiscais ilimitadas, pois atua como pessoa jurídica.

Feito isso, você pode se enquadrar no Simples Nacional é direcionado e microempresas e empresas de pequeno porte. A sua particularidade é a unificação de 8 tributos, que ajuda a reduzir o valor de impostos cobrado.

Os autônomos também saem ganhando: ao optar pela não abertura de CNPJ, você recebe o pagamento pelos serviços através da RPA (Recibo de Pagamento Autônomo), feito em casos de ausência de vínculo empregatício. Parecido com a nota fiscal, o RPA permite o recolhimento de impostos.

Ficou confuso? A gente ajuda você a entender a diferença de tributação entre MEI, ME e profissionais liberais e autônomos.

  • Mas é caro? Demora? É o momento de empreender?

O processo de abertura de empresas leva, em média, 30 a 45 dias. E caso você tenha paciência, mas não muito dinheiro para começar, o desafio é maior. Pensando nisso, preparamos um artigo com 8 dicas pra quem quer abrir a própria empresa e não pode gastar muito.

Mas se você ainda não decidiu se está no momento certo de empreender, preparamos um case com orientações, onde quem mais sabe do assunto pode te ajudar com o plano de negócios e a descoberta do momento certo para trabalhar nesse projeto.

 

As informações podem estar resumidas e, portanto, incompletas. Este documento / informação não constitui, e não deve ser considerado um substituto para aconselhamento jurídico ou financeiro. Cada situação financeira é diferente e as informações oferecidas são gerais. Entre em contato com seus consultores financeiros ou legais para obter informações específicas sobre sua situação.

Artigos Relacionados

Conheça as despesas que são consideradas no investimento inicial

As despesas pré-operacionais são as despesas básicas para a implantação e a…

Leia Mais

Dicas de como abrir uma empresa de serviços

Caso você tenha uma habilidade ou área de especialização particular, abrir uma…

Leia Mais

Consultores que toda nova empresa deve ter

Começar uma nova empresa é um processo de várias etapas em que…

Leia Mais