Image Alt Text
Expandindo a empresa

Crédito para pequenas empresas: veja como conquistar as melhores oportunidades

saúde financeira de qualquer empreendimento depende de uma série de fatores. E em um mercado tão repleto de oportunidades, mas também extremamente competitivo, a capacidade de investimento e aprimoramento constante merece destaque. Por isso, o crédito para pequenas empresas pode ser fundamental.

Apesar disso, muitos gestores e empresários não dão a devida atenção a esse tópico e acabam por correr riscos, como perda de credibilidade, ficar defasado diante dos outros negócios do mesmo ramo ou até a desestabilização do fluxo de caixa. Quer descobrir como evitar que isso aconteça? Então, não deixe de conferir o conteúdo a seguir.

Quando buscar crédito para pequena empresa?

Antes de tudo, é preciso compreender bem o conceito de crédito dentro do contexto empresarial. Embora ele possa ser descrito de diversas maneiras, trata-se da obtenção de um aporte de capital, que pode ser empregado de várias formas dentro da organização. Isso desde a expansão e manutenção até o pagamento de dívidas e a aquisição de bens, por exemplo.

No entanto, conquistar o crédito empresarial é uma missão que pode ser um tanto quanto desafiadora, principalmente para negócios que estejam passando por dificuldades financeiras ou precisem fazer um investimento quanto antes. Por isso, é fundamental compreender como funcionam as linhas de crédito para pessoas jurídicas.

Por norma, qualquer instituição que conte com um CNPJ válido e ativo pode solicitar um empréstimo empresarial para algum credor operante no mercado. Tradicionalmente, isso era feito de modo presencial em bancos ou instituições financeiras. Contudo, até mesmo esse tipo de relação evoluiu e existem alternativas modernas e práticas, como as fintechs.

Na prática, o que muda um pouco são as condições da transação, que costumam ser menos burocráticas nas soluções mais recentes e baseadas na internet. Portanto, se a sua empresa está em um momento em que precisa melhorar os processos internos, contratar talentos, investir em equipamentos ou saldar dívidas, pode ser a hora de buscar crédito.

Por que é importante optar por uma linha de crédito?

A obtenção de crédito para pequena empresa pode ser importante por diversos motivos, dependendo da situação em que o negócio se encontra e de suas necessidades em curto, médio e longo prazos. Em especial, se considerarmos as diversas oscilações que a economia passa, existem momentos nos quais se capitalizar pode ser simplesmente imprescindível.

Até mesmo se você tem uma grande dívida e está arcando com juros exorbitantes todos os meses, pode ser uma boa ideia pedir um empréstimo empresarial em melhores condições e saldar o débito, pagando agora com maior facilidade. Em geral, os gestores podem levantar uma quantia até para terem um maior capital de giro e aumentarem seu poder de negociação.

O mesmo princípio vale, por exemplo, para aumentar a capacidade de investimentos e manter a competitividade do negócio dentro do seu ramo de atuação. Isso confere uma oportunidade de crescer com sustentabilidade, investindo em estratégias de merchandising ou criando uma melhor estrutura, ao mesmo tempo em que se expande a carteira de clientes.

Para praticamente qualquer mudança, há a necessidade de obter recursos financeiros, que podem não estar disponíveis no momento. Nesses casos, sem dúvidas, uma boa alternativa pode ser a obtenção de crédito, sobretudo para pequenas empresas, que ainda costumam contar com linhas específicas e podem ter vantagens bem interessantes.

Confira abaixo algumas dessas vantagens!

Previsibilidade financeira

Um dos segredos do sucesso de grande parte das empresas que opera no mercado atual é a capacidade de previsibilidade financeira. Afinal, diante da competitividade elevada e do alto grau de exigência que clientes, parceiros e acionistas podem exercer sobre a instituição, saber como se programar e se adaptar economicamente pode ser essencial.

A obtenção de crédito pode ajudar muito nesse contexto, gerando fluxo de caixa e capital de giro para cobrir despesas em diversas eventualidades ou garantir a folha de pagamento em um mês não tão profícuo, por exemplo. É uma maneira de manter a estabilidade do negócio e usufruir com inteligência do empréstimo solicitado.

Ampliação da operação

Muitas pequenas empresas, ou até as de médio e grande porte, podem solicitar crédito para realocá-lo na ampliação de suas operações. Esse é um investimento estratégico e vantajoso, desde que sejam observadas as condições do empréstimo e o nível de demanda que o mercado vem proporcionando para a organização.

Dessa forma, com o passar do tempo, haverá uma arrecadação maior de lucros, além do desenvolvimento do empreendimento como um todo. Isso justifica a solicitação do valor e o pagamento da dívida, com os devidos juros e taxas. Muitas vezes, essa pode ser a única forma de alavancar as atividades de modo ágil.

Quitação de despesas

Como já citamos acima, a obtenção de crédito também pode ser feita com o objetivo de otimizar a gestão financeira e conferir a possibilidade de quitação de antigas despesas. Pode parecer um tanto quanto contraditório solicitar um empréstimo para pagar uma dívida, mas isso pode ser bastante vantajoso se o gestor ou empreendedor fizer do jeito certo.

A grande questão aqui é o quanto será pago em juros e taxas. Se as do novo débito forem condições melhores que as dos antigos, vale a pena fazer isso. Além de tudo, é preciso estar atento às possibilidades, visto que, dependendo da linha escolhida, pode até haver dedução de parte do valor no Imposto de Renda.

Como funcionam as linhas de crédito para pequena empresa?

Existem muitas alternativas de linhas de crédito para pequena empresa. E cada uma delas tem as suas próprias características, taxas e exigências. No entanto, conhecer melhor as opções, contar com um histórico financeiro positivo e um bom relacionamento nas instituições financeiras ajudam bastante na hora da aprovação.

Na prática, você precisa fazer sua solicitação para o credor de sua escolha e atender a alguns dos principais critérios analisados nesse momento. Então, poderá atestar sua capacidade de pagamento, o que é feito por meio de fluxos e as projeções de caixa. Afinal, ninguém emprestará dinheiro para quem não demonstrar alta probabilidade de cumprir com suas obrigações.

Além disso, vale salientar que, quanto maiores forem as quantidades e a qualidade das garantias que você oferecer, menor será o seu risco do ponto de vista do credor, em relação a recobrar os recursos fornecidos. Naturalmente, isso se traduzirá em melhores condições e em um acesso mais simples ao crédito que precisa.

Quais são as possibilidades de obtenção de crédito?

Agora que você já entendeu um pouco melhor como funcionam as linhas de crédito para pequena empresa, chegou a hora de conhecê-las mais a fundo. Logo, aprendendo as características e oportunidades que cada modalidade oferece às empresas solicitantes.

Empréstimo com garantia

Uma das opções para quem não tem dinheiro em caixa e precisa se capitalizar é partir para um empréstimo com garantia. Trata-se de uma modalidade bastante utilizada no país, em que o requerente do crédito precisa apresentar algum tipo de bem para a instituição financeira, de modo a assegurar o pagamento do seu débito.

Entre os mais comuns, por conta do seu valor elevado de mercado, estão veículos e imóveis, sendo que esses últimos vêm sendo bastante empregados em operações de home equity. Dessa maneira, espera-se que as chances de inadimplência diminuam, o que resulta em condições melhores e taxas baixas de juros.

Peer to peer

Com o advento da tecnologia, a automatização de diversos processos e a modernização das relações do mercado, é natural que as opções de obtenção de crédito avançassem. É justamente isso que oferece o peer to peer, uma alternativa de financiamento voltada principalmente para micro e pequenas empresas.

No peer to peer, tomadores de crédito e investidores, que podem ser pessoas físicas ou jurídicas, conectam-se por meio de plataformas digitais, sem a necessidade de mediação por um agente financeiro. A verificação de riscos também é feita no ambiente digital, buscando informações sobre o perfil do solicitante em tempo real, com total praticidade.

Crédito via BNDES

Outra opção de empréstimos para empresas envolve programas de estímulo do governo federal, como as linhas de crédito via BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Ele proporciona produtos exclusivos para micro, pequenos e médios empresários, com condições diferenciadas e potencialmente vantajosas.

Existem limites de valores e prazos, mas o fato é que os juros tendem a ser bastante interessantes, bem mais baixo do que outras alternativas do mercado. Há, ainda, uma linha exclusiva para a aquisição de máquinas, equipamentos, veículos e outros bens de produção, o que pode ser feito diretamente com os fornecedores credenciados.

Antecipação de recebíveis

A antecipação de recebíveis consiste em uma forma de obter crédito por meio do recebimento antecipado dos lucros previstos para determinada empresa. É uma escolha bastante recorrente por gestores e empreendedores que não contam com capital de giro no momento, mas precisam se capitalizar pelas mais variadas razões.

O processo não costuma ser muito burocrático, porque os próprios recebimentos futuros funcionarão como garantia. Isso ajuda a conseguir juros mais baixos e boas condições. Por outro lado, se a antecipação de recebíveis não for utilizada com inteligência e controle, pode comprometer o fluxo de caixa da instituição.

Cooperativas de crédito

As cooperativas de crédito também são uma opção para quem está com dificuldades em buscar investidores, mas não pode abrir mão de capitalizar o seu negócio. Elas funcionam de uma forma semelhantes aos agentes comuns do mercado (bancos e financeiras), mas têm alguns benefícios importantes, como isenção de certas tributações.

Com isso, é possível oferecer bons diferenciais às empresas, até porque o intuito da cooperativa é o de promover o desenvolvimento regional, por meio dos próprios interesses da comunidade. Para isso, a instituição deve efetuar a compra de uma cota e se tornar sócio, além de participar das decisões em assembleias.

Microcrédito

O microcrédito é uma modalidade de empréstimo bastante popular no Brasil e existe para atender às demandas e necessidades de pequenos negócios, tanto na operação quanto no momento de abertura. A modalidade é voltada para MEIs (microempreendedores individuais), pessoas jurídicas ou mesmo informais, que não têm fácil aprovação em créditos convencionais.

As suas principais vantagens estão relacionadas às taxas de juros menores, isenção do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e menor burocracia. Contudo, existe limite tanto para o valor emprestado quanto para o faturamento da instituição. Também é comum que o agente financeiro de microcrédito ajude com orientações sobre o uso dos recursos.

Investidor anjo

Nos últimos tempos, a figura do investidor anjo se tornou bastante popular no mercado. A solução passou a ser uma espécie de “sonho de consumo” de muitos empreendedores que têm uma boa ideia na cabeça, mas pouco dinheiro no bolso. No entanto, para receber esse tipo de aporte, é preciso apresentar algum diferencial diante da concorrência.

Isso é essencial porque os investidores anjo são pessoas físicas ou jurídicas que fazem investimentos com seu próprio capital. Ou seja, eles apostam em negócios com ideias inovadoras e/ou com grande potencial de crescimento. Infelizmente, no Brasil, a nossa legislação tributária ainda não é muito favorável para essa operação.

Cheque especial

O cheque especial também é uma forma de levantar dinheiro imediato para aportar no que o empreendedor bem entender. Os bancos costumam aumentar o limite de crédito das contas-correntes de pessoas físicas e jurídicas sem maiores dificuldades, mas é claro que, no final das contas, isso acaba cobrando o seu preço.

O grande percalço é que, apesar da praticidade, as taxas de juros praticadas são praticamente proibitivas e podem fazer com que o fluxo de caixa do negócio sofra sérios problemas. Portanto, ele deve ser usado apenas em emergências, sendo pago assim que houver algum recurso disponível para isso.

Crowdfunding

crowdfunding, que pode ser traduzido como empréstimo coletivo, é uma alternativa que vem ganhando muitos adeptos nos últimos anos, sobretudo após a grande popularização da internet e das redes sociais. Em suma, ele é mais voltado para o financiamento de projetos específicos. Lançamentos ou produtos inovadores são alguns exemplos.

Entretanto, nada impede que uma pequena empresa use essa solução para levantar fundos, principalmente se ela tiver algo diferente para oferecer à sociedade. Existem plataformas específicas para essa finalidade e a grande vantagem é que você conquista crédito direto do cliente final, devolvendo em forma de benefícios, como itens extras e presentes.

Como conquistar as melhores oportunidades?

Uma das primeiras coisas que você precisa analisar na hora de solicitar crédito é a destinação que dará para esse recurso. Muitos empreendedores e gestores acabam pensando em capitalizar seus negócios, mas nem sequer sabem, pelo menos não com total riqueza de detalhes, qual é a verdadeira finalidade de fazer o empréstimo.

Isso ajuda a definir qual é a linha e modalidade que você deve dar preferência. Até porque algumas exigem um elevado grau de especificidade e explicação, como a antecipação de recebíveis. Somente depois disso é que poderá adotar critérios e comparar as condições oferecidas, para conseguir fazer a melhor escolha.

Quais informações são solicitadas?

A depender da instituição, da linha de crédito e até do segmento de mercado em que a sua empresa está inserida, os seus credores em potencial poderão solicitar diversos tipos de informações e demonstrativos. No entanto, existem alguns pontos que você deve organizar para solicitar um empréstimo, não importando a sua origem. Veja quais são eles a seguir.


Fluxo de caixa

Pouco adianta capitalizar o seu negócio se você não conta com um fluxo de caixa bem organizado, certo? Além disso, esse é um dos principais indicadores financeiros solicitados pelas instituições que podem oferecer crédito. Por isso, você não deve deixar de dominar todas as operações, compreender seus recursos, seus gastos e suas fontes de renda.

Um dos grandes motivos de falência das empresas é não gerenciar adequadamente o que entra e o que sai do caixa do empreendimento. Sendo assim, é importante não hesitar em avaliar os resultados diariamente e projetar estimativas futuras, com o máximo de riqueza de detalhes.

Balanço patrimonial

Entre as principais informações solicitadas pelos credores do mercado, pode constar o famoso Balanço Patrimonial, também conhecido pela sua sigla BP. Ele deve fazer parte de suas rotinas contábeis e consegue explicitar, com elevado grau de precisão, a sua posição financeira, patrimonial e econômica no seu segmento.

É preciso tomar por base um período específico, que costuma ser de um ano. Para a sua apresentação, os lucros e as despesas são separados em ativos e passivos. Dessa forma, fica mais simples demonstrar as variações ou a evolução com o passar do tempo, trazendo suporte e embasamento para uma futura aprovação ou melhores condições de pagamento.

Destinação do recurso

Como falamos acima, uma das exigências que alguns fornecedores de crédito no mercado podem fazer é o esclarecimento da destinação do recurso. Enquanto algumas opções conferem total liberdade para o uso do dinheiro, como pagamento de contas ou investimentos, outras podem ser um pouco mais restritas.

A linha do BNDES que é direcionada para a aquisição de maquinário, por exemplo, só poderá ser empregada para essa função. Da mesma maneira, a antecipação de recebíveis costuma ser destinada principalmente para a quitação da folha de pagamento. Por isso, para aumentar suas chances, você precisa saber muito bem do que e de quanto precisa.

Como coletar as informações de modo mais fácil?

Já percebeu que, para obter o crédito para pequena empresa com maior facilidade, você deve apresentar o máximo de informações fidedignas? O objetivo é apresentar a real situação do empreendimento e a sua capacidade de pagamento. Entretanto, com o elevado volume de detalhes que um negócio lida no dia a dia, nem sempre isso é uma tarefa simples.

O primeiro passo é ter o máximo de organização, pois você precisa minimizar as chances de falhas durante esse processo. Os trabalhos manuais, como todo mundo já sabe, estão sujeitos a erros. Por isso mesmo, contar com ferramentas tecnológicas pode ser uma ideia eficaz, especialmente um bom software de gestão financeira.

Qual é a importância dos indicadores financeiros?

Os indicadores financeiros ajudam a atestar as condições gerais do empreendimento, visto que podem resumir todas as informações relevantes para o negócio, sobretudo do ponto de vista econômico. Isso precisa ser feito de uma maneira altamente precisa, estruturada, organizada e confiável.

Também é muito relevante que sejam feitos e entregues na periodicidade definida para cada um, inclusive conforme a legislação vigente no Brasil, tendo em vista que alguns são obrigatórios. Dado o seu elevado grau de tecnicidade, o ideal é contar com ajuda profissional e/ou investir em uma solução de tecnologia, como o software de gestão.

Como garantir bons indicadores para a obtenção de crédito?

Os indicadores garantem uma apresentação precisa e bem-feita dos recursos, do patrimônio, das operações e da contabilidade da empresa. Portanto, você ganha valor perante o mercado e até clientes, o que traz mais segurança para os credores e faz com que eles percebam que a sua instituição é sólida e conseguirá arcar com os pagamentos da dívida obtida.

Por isso mesmo, não é difícil perceber que vale a pena investir para que eles sejam elaborados da melhor maneira possível. Ao contar com um bom software de gestão, você terá todos os dados centralizados em um só local, facilmente acessíveis e salvos de forma segura, com backups periódicos e transferidos por criptografia.

Por que a boa gestão financeira impacta a obtenção de crédito?

Uma boa gestão financeira empresarial, como você já pôde perceber ao longo do conteúdo, impacta bastante a obtenção de crédito para as pequenas empresas. Isso ocorre porque os credores precisam ter o máximo de garantias de que receberão o valor de volta, nos prazos definidos e com os juros acordados.

Visando conquistar as melhores oportunidades, os gestores e empreendedores devem comprovar sua capacidade administrativa, mostrando que o negócio pode operar e ser lucrativo dentro do seu segmento. Assim, para obter o melhor crédito para pequena empresa, é importante ter um gerenciamento econômico de alto nível, com amplo conhecimento do fluxo de caixa e dos dados nele contidos.

Diante disso, os sistemas de gestão financeira, como o QuickBooks, se mostram bastante eficazes. Com o QuickBooks você pode controlar as finanças da sua empresa de forma prática e rápida, poupando seu tempo para focar na estratégia do negócio. O programa permite emitir boletos e Notas Fiscais de serviço sem custo em um só lugar, controlar contas a pagar e a receber, importar transações bancárias, gerar relatórios financeiros customizados, criar orçamentos e faturas personalizadas e muito mais! Com armazenamento de dados seguro na nuvem, você ainda pode acessar a qualquer hora, em qualquer lugar tanto pelo computador quanto pelo smartphone. Saiba mais!

Gostou desse artigo? Então siga o QuickBooks nas redes sociais para mais dicas! Estamos no FacebookInstagramYouTube e LinkedIn.


Artigos Relacionados